sábado, 2 de novembro de 2019

sábado, 7 de setembro de 2019

"ações corretas devem estar sincronizadas com as leis naturais" no Yi Jing (I-Ching)

"Quando as influências do céu e da terra se combinam, todas as coisas são possíveis*. Contudo, para alcançar êxito, essa infinidade de perspectivas deve ser tratada de maneira metódica. Para promover o completo desenvolvimento, as ações corretas devem estar sincronizadas com as leis naturais."

* "tudo existe" parece dizer a biologia, que descobre exceções às "regras da vida" quase diariamente.

Yi Jing/I-Ching 11 泰 tài
䷊ terra sobre céu

泰 tài s. harmonia, tranquilidade; adj. seguro, pacífico

"quando o Dao não predomina no reino, fique longe" no Yi Jing (I-Ching)

"Quando as infuências do céu e da terra se separam, o progresso não é possível. Mesmo uma pessoa de bem não consegue vencer, e, por isso, deve afastar-se da vida pública e trabalhar silenciosamente, em segundo plano."

Yi Jing/I-Ching 12 否 pǐ
䷋ céu sobre terra

 否 pǐ s. estagnação, obstrução; adj. obstruído, estagnado, mau

Céu e Inferno, por Borges

"O que é o céu se não um suborno, e o que é o inferno se não uma ameaça?" - Jorge Luís Borges

Sabedoria, por Confúcio

“A sabedoria começa quando chamamos as coisas pelo nome certo.” – Confúcio, Analectos, XIII.3

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Assistir TV para ser feito de tolo? No Brasil é assim.

Na verdade, o mercado capitalista, aqui e em qualquer lugar, sempre foi uma forma de “corrupção organizada”, começando com o controle dos mais ricos acerca da própria definição de crime: criminoso passa a ser o funcionário do Estado ou o batedor de carteiras pobre, enquanto o especulador de Wall Street – a matriz da avenida Paulista – que frauda balanços de empresas e países e arruína o acionista minoritário, embolsa, hoje mais que antes da crise, bônus milionários. Enquanto os primeiros vão para a cadeia, o segundo, que às vezes arrasa a economia de países inteiros, ganha foto na capa da revista The Economist como financista do ano. Quem é que ganha, na verdade, com a corrupção tornada legal do mercado e celebrada como mérito? É isso que o cidadão feito de tolo não vê.

E ainda, com esse dinheiro “extra” dos tolos, compram partidos políticos que defendem seus privilégios e jornais e redes de TVs que repetem todo dia que o problema nacional é a corrupção apenas no Estado. A lorota do mercado “virtuoso” entre nós só pode ser compreendida pelo sequesto dos meios de comunicação em favor dos interesses do 1% mais rico da população. Tão importante quanto o direito ao voto em uma democracia é o direito à informação plural, onde o contraditório e a notícia percebida e discutida por diversas perspectivas e aos olhos dos interesses mais diversos têm o lugar central. Sem uma mídia plural não existe democracia digna deste nome, nem processo coletivo de aprendizado durável. A manipulação grotesca, por exemplo, da TV brasileira – talvez só comparável à das ditaduras – nem sequer é percebida pelo público. Como sempre foi assim, não existe padrão de comparação crítica. Nesse contexto, a “opinião pública” tende a equivaler à “opinião que se publica”.

Jessé Souza. A Tolice da Inteligência Brasileira: ou como o país se deixa manipular pela elite. São Paulo: LeYa, 2015. Trechos entre as páginas 247 e 249.